close
Saúde

Quarentena no Brasil: Buscas sobre ansiedade crescem durante a pandemia

Buscas-sobre-ansiedade-crescem-durante-a-pandemia

Quarentena no Brasil: Buscas sobre ansiedade crescem durante a pandemia

A crise de ansiedade tem sintomas físicos característicos que fazem com que a pessoa perceba que algo diferente está acontecendo. Taquicardia, respiração ofegante, sudorese excessiva, tremores, alterações intestinais, insônia, formigamento, falta de ar, alterações alimentares, dores de estômago, entre outros sintomas são comuns.

O comportamento online das pessoas também tem servido como base para mostrar como a ansiedade cresceu desde o início da pandemia e como ela preocupa a população.

Uma pesquisa recente do Google, revela que a procura dos brasileiros pela frase “como é ter crise de ansiedade” teve uma alta superior a 5.000% entre janeiro a julho e a busca pelo tema ansiedade como um todo aumentou três vezes mais do que a média dos últimos 16 anos.

Um outro estudo realizado por cientistas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) mostra que a ansiedade tem afetado mais a população adulta do Estado de São Paulo, segundo dados coletados entre os dias 24 de abril a 24 de maio.

Para entender melhor os sintomas, como tratar e para que a condição dos pacientes não se agravem, a psiquiatra do São Cristóvão Saúde, Daniela Gava e a psicóloga do CAIS – Centro de Atenção Integral à Saúde, Aline Melo, abordam informações sobre a crise de ansiedade e como lidar com o distúrbio.

“A ansiedade como emoção humana é autolimitada e nos ajuda a criar saídas, soluções para o que está por vir. Ela passa a ser um transtorno mental quando é persistente, de difícil controle, desproporcional às situações que estão mobilizando o sofrimento, invariavelmente acometendo o padrão funcional dessas pessoas. O transtorno de ansiedade pode se manifestar de diversas formas clínicas, como transtorno do Pânico, TOC – Transtorno obsessivo-compulsivo, Fobias, Transtorno de Ansiedade Generalizado e Transtorno de Estresse pós-traumático, e exigem tratamentos específicos.”, afirmou a psiquiatra,  Daniela Gava.

 

Durante uma crise de ansiedade, os pensamentos da pessoa ficam muito confusos e desordenados, por isso, a dica é tentar manter a atenção no que realmente está ocorrendo e não nos pensamentos ruins. Isso pode ajudar a pessoa a se conectar com a realidade e tirar o foco da ansiedade.

É importante tentar trabalhar a respiração de maneira pausada e profunda, para acalmar tanto os sintomas físicos como emocionais, ajudando na recuperação de controle e relaxamento. Se aproximar de alguém de confiança, também ajuda a sentir-se mais seguro nesse momento.

Quem nunca teve uma crise de ansiedade pode não entender o que o outro está passando, não saber como ajudar ou até mesmo atrapalhar. A doutora Daniela diz que basta agir de forma empática, se mostrar preocupado, ouvir o que a pessoa tem a dizer e sugerir atividades que desviem o foco da crise.

A psicóloga Aline reforça ainda a importância da respiração nesse momento. “Tente focar a atenção da pessoa em outros pontos em vez de querer compreender o motivo ou o que a pessoa está sentindo, como em um exercício de respiração mais pausada e profunda ou outras possibilidades de relaxamento, sempre visando acalmar, de maneira gradativa a pessoa.” disse.

 

Caso a pessoa não esteja conseguindo dormir há dias ou esteja com uma gastrite, por exemplo, que não melhora nem com medicamentos para o estômago por conta da ansiedade, é necessário procurar um serviço especializado para entender o grau dos sintomas e indicarem o melhor tratamento.

“A medicação é um fator extremamente importante para o controle da ansiedade quando a pessoa não consegue mais controlar sozinha, porém, existem outras formas que pareadas a medicação, podem potencializar seu efeito e contribuir de uma maneira efetiva na melhoria dos pacientes. A psicoterapia é uma delas: aprender sobre si, seus gatilhos associados a ansiedade, desenvolver reflexões para melhoria de comportamentos e crenças colaboram para uma evolução positiva. Técnicas de relaxamentos, meditação e exercícios físicos também podem ajudar nesse processo de recuperação, porém, sempre é importante em paralelo a tudo isso o acompanhamento médico no que diz respeito adaptação desse paciente em relação a medicação, dosagem e tratamento.”, afirmou a psicóloga, Aline Melo.

 

E o principal, faça atividades prazerosas, como pintar, costurar, cozinhar, entre outras. “Tudo que lhe gera prazer te confere uma sensação de bem-estar, melhorando seu quadro emocional, por isso, encontre momentos em seu dia para realizar atividades que te tragam alegria.

Nosso corpo precisa de momentos de relaxamento para aliviar o estresse e os momentos de tensão. A meditação, os exercícios físicos e o relaxamento são ótimos para trabalhar o controle da ansiedade.”, finaliza Aline Melo.

Tags : ansiedadeCAIS - Centro de Atenção Integral à Saúdecrise de ansiedadefiocruzquarentenasão cristóvão saúdeUFMG

Casino siteleri

- Kalebet -
Holiganbet
- Meritroyalbet giriş - mersin escort - www.mersindugun.com - Trbet giriş