Clicky

Plataforma Healthcare Management. Ideias, Tendências, Líderes e Práticas - Healthcare Management

“As Doze Regras para a Vida: Um Antídoto para o Caos”, por Marcos Gallo

“As Doze Regras para a Vida: Um Antídoto para o Caos”, por Marcos Gallo

Como os primeiros dias do ano novo pedem planejamento, tempo de fazer “To-Do Lists” e determinar objetivos logo lembrei de um livro que me marcou muito, do Dr. Jordan Peterson, psicólogo clínico canadense professor de psicologia da Universidade de Toronto.

Ele é um das autoridades mundiais quando os assuntos são psicologia analítica, social e evolucionista, com particular interesse na crença ideológica, personalidade e na psicologia da religião.

O livro que falo é Ele é o best-seller internacional “12 regras para a vida – um antídoto para o caos”.

Suas palestras no YouTube abordam neurociência, psicologia, mitos, responsabilidade pessoal e o sentido da vida.

Esse texto será longo, mas valerá a pena – os títulos das regras são inusitados e divertidos; Vamos as regras:

1ª Regra: Costas eretas, ombros para trás

Imagine um animal confiante, forte e poderoso. Agora pensa outro, pequeno, com medo e desconfiado.

Estudos no cérebro, feitos em animais, indicam claramente que ficar ereto e de ombros para trás passa uma mensagem clara de confiança e poder.

Para a sobrevivência, todos os animais criaram mecanismos próprios para solucionarem conflitos que permitem que todas as partes resolvam suas diferenças sem que nenhuma delas seja prejudicada.

Isso é o que Jordan Peterson chama de “competição de menor escala”, por não levar os envolvidos à morte.

2ª Regra: Cuide de si mesmo como cuidaria de alguém sob sua responsabilidade

Um fato complexo é que, nos tempos atuais, as pessoas cuidam mais de seus objetos, posses e animais do que cuidam de si mesmas.

O Dr. Peterson nos convida a imaginar como seria a vida se cada um cedesse completamente aos seus impulsos negativos.

Por exemplo, como seria a sua vida se você cedesse ao extremo ao sentimento de raiva? Quando você começa a cuidar de si mesmo, você se reconcilia com a sua alma e com o seu corpo.

3ª Regra: Seja amigo de pessoas que querem o melhor para você

A falta de responsabilidade com a própria vida ou baixa autoestima pode fazer com que você escolha amigos que não acreditam que merecem o melhor da vida, e isso afeta muito negativamente.

Como somos animais sociais, e não conseguimos viver sem outras pessoas, é preciso aprender a escolher as amizades certas.

Caso não elimine pessoas tóxicas da sua vida, você pode sofrer devastações em todas as áreas da vida.

4ª Regra: Compare a si Mesmo Com Quem Você Foi Ontem

Uma das maiores violências que você pode cometer é agir contra a sua própria natureza.

Todo tem forças e fraquezas e, por isso, a única comparação que você deve fazer é com quem você foi ontem.

Você tem uma natureza única, sendo assim, não será feliz ou bem-sucedido caso lute contra ela.

Portanto, nunca se compare com os outros, mas apenas com o seu “eu” do passado.

5ª Regra: Não permita que seus filhos façam algo que faça você deixar de gostar deles

Aquilo que você encoraja ou desencoraja nas crianças vai se traduzir nos atos futuros delas, quando forem adultas.

Você precisa ser justamente, pai do seu filho. O papel de um pai e de uma mãe é ensinar aos filhos os principais aspectos que moldam o comportamento dos seres humanos.

Caso não faça este trabalho direito, você pode descobrir tarde demais que seus filhos não foram preparados para o mundo. Eduque seus filhos para que sejam agradáveis e úteis para a sociedade.

6ª Regra: Deixe sua casa em perfeita ordem antes de criticar o mundo

Antes de criticar o mundo e as outras pessoas, olhe para si mesmo e arrume a sua casa. Não tente consertar o mundo se não consegue consertar a si mesmo.

Para arrumar a sua casa, comece dando um pequeno passo, parando de fazer uma coisa que você faz de errado.

Depois disso, comece a fazer apenas aquelas coisas das qual você possa dizer com orgulho que as faz, até criar uma base sólida na sua personalidade.

7ª Regra: Busque o que é significativo não o que é conveniente

Sacrificar os prazeres do presente em função de um futuro melhor é uma grande maneira de manipular a estrutura da realidade, alterando-a a seu favor e conforme a sua vontade.

A diferença entre a pessoa malsucedida e a bem-sucedida é que a bem-sucedida sacrifica o presente em busca de um futuro grandioso.

8ª Regra: Diga a verdade, ou, pelo menos, não minta

No livro o Dr. Peterson nos mostra como pequenas mentiras foram capazes de gerar assassinos cruéis como Hitler e Stálin. Cada mentira que você conta, por menor que seja, te enfraquece como pessoa.

O autor propõe que você tenha um objetivo e aja de forma totalmente honesta de acordo com este objetivo, seja sempre verdadeiro consigo mesmo e fale sempre a verdade.

9ª Regra: Presuma que o seu interlocutor possa saber algo que você não saiba

Pensamento correto e escuta ativa está intimamente com bons relacionados. O quanto você sabe escutar a outra pessoa?

Para o Dr. Peterson, o melhor tipo de conversa é descrita como uma “meditação compartilhada”, onde o diálogo ocorre de forma que todas as partes envolvidas não envolvam o ego para que possam explorar novos territórios.

Seja humilde para admitir que a outra pessoa pode saber mais do que você e que você pode aprender muito com ela.

10ª Regra: Seja preciso no que diz

As pessoas percebem o mundo a partir de nossa realidade subjetiva, logo estamos limitados ao nosso ponto de vista. Graças à capacidade estratégica do cérebro, conseguimos perceber o mundo como uma coisa simples.

Porém, de vez em quando, tudo desmorona. Quando uma de suas maiores certezas se desfaz, a realidade se manifesta. A precisão transforma as várias possibilidades em uma única realidade.

Por isso, ao ser preciso no que diz, você consegue dar um passo em frente na difícil tarefa de lutar contra o caos através da precisão e contribui para que o mundo seja um lugar com mais sentido.

11ª Regra: Não incomode as crianças quando estão andando de skate

Pais muito atentos e preocupados criam crianças que, na melhor das hipóteses, não conseguem atingir suas capacidades plenas.

As regras sociais inserem as crianças em redomas protetoras, o que faz as novas gerações desperdiçarem muito de seu potencial.

Crianças e adolescentes sempre transformarão uma diversão segura em algo desafiador e perigoso, por isso, impedi-las de enfrentarem os perigos e os riscos pode destina-las ao fracasso.

A única forma de garantir que as crianças se desenvolvam com plenitude, tornando-se adultos saudáveis, é permitir que elas se exponham aos perigos – o que, inclusive, elas fariam mesmo se não tivessem permissão.

12ª Regra: Acaricie um gato na rua

Acariciar um gato é como prestar atenção nas pequenas coisas que, apesar de parecerem insignificantes, compensam grande parte do inevitável sofrimento que a vida apresenta para todos.

Fazer o bem sempre que for possível, quando possível, sendo grato, apreciando a beleza da vida, mesmo nos dias difíceis, através de pequenas experiências, é o que resume esta regra.

Um grande ano de 2022 a todos!

Próximo Post

HCM | Edição 85

HealthARQ - Edição 38 - Bia Gadia

HealthARQ - Edição 38 - Lauro Miquelin

HealthARQ - Edição 38 - Daniel Mendez

Health-IT Prêmio '22

  ASSINE A NEWSLETTER

Assine as revistas do Grupo Mídia

Quer falar com o mercado da saúde?
Fale com a gente!

16 3913 – 9800

Assinaturas e circulação: assinatura@grupomidia.com
Atendimento ao leitor: atendimento@grupomidia.com
Redação: redacao@grupomidia.com
Comercial: comercial@grupomidia.com