Ideias, Tendências, Líderes e Práticas

Certificações atestam qualidade de hospitais públicos do Pará

Os hospitais Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), Público Estadual Galileu (HPEG) e Oncológico Infantil Octávio Lobo receberam os certificados de qualidade, que atestam a excelência dos serviços e processos gerenciais das unidades

O trabalho e a dedicação ao paciente desenvolvidos em três hospitais públicos do Pará foi celebrado nesta sexta-feira, 21/9, por autoridades nacionais. Os hospitais Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), Público Estadual Galileu (HPEG) e Oncológico Infantil Octávio Lobo receberam os certificados de qualidade, que atestam a excelência dos serviços e processos gerenciais das unidades.

 

Em uma cerimônia solene realizada no HMUE, em Ananindeua (PA), o hospital de urgência e emergência ganhou o certificado ONA 1 – Acreditado. Já o HPEG e Oncológico Infantil receberam a certificação ONA 2 – Acreditado Pleno. Os pacientes do Oncológico Infantil integrantes da Classe Hospitalar apresentaram a música “Deus é Deus”, emocionando os presentes.

 

Autoridades da área da Saúde do Estado do Pará e dos municípios da região metropolitana de Belém, onde os três hospitais gerenciados pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar estão localizados, estiveram presentes. O diretor Operacional da Pró-Saúde no Pará, Rogério Kuntz, falou em nome da entidade, ressaltando o benefício que o paciente tem ao ser atendido em uma unidade com certificação de qualidade. “Com estas certificações, os hospitais públicos da região metropolitana de Belém têm condições de chegar ao ranking dos melhores hospitais públicos do país, a exemplo do Hospital Regional da Transamazônica (HRPT) e Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA)”, acrescenta.

 

O secretário de Saúde Adjunto, Arthur Lobo, falou em nome do governador do Pará, Simão Jatene, sobre a trajetória da acreditação hospitalar nas diferentes unidades gerenciadas pela Pró-Saúde no Estado e lembrou que o trabalho pioneiro desenvolvido no HRBA e HRPT impulsionou a busca pela certificação nas unidades da região metropolitana de Belém. “A certificação que hoje chega premia nossos pacientes por meio do trabalho de todos os colaboradores”, diz Lobo.

 

O padre da Paróquia Cristo Rei, Pedro Vilanova, lembrou o trabalho de acolhida que os colaboradores realizam em prol dos pacientes das três unidades. O religioso ressaltou o espirito de coletividade, que une o corpo de funcionários das unidades diante da conquista. “Jesus enviava os discípulos de dois em dois porque percebia que sozinhos nada alcançaremos”, compara.

 

Conquista coletiva

 

Os representantes de cada unidade receberam das mãos da representante da Fundação Vanzolini, Angelita Zanni, o certificado que atesta qualidade em segurança do paciente e em processos gerenciais. A fundação é responsável pela auditoria nas unidades. É a partir do aval da Vanzolini, que a ONA concede o selo de acreditação hospitalar a uma determinada entidade de saúde.

 

A diretora Hospitalar do Oncológico Infantil, Alba Muniz, destacou o caminho que um hospital percorre até ser acreditado. “A caminhada da certificação é algo para a vida inteira e nesse processo o que importa é a viagem e não o caminho. Nesse caminho você descobre os potenciais das pessoas”, reflete.

 

Diretor do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência, Itamar Monteiro, expressou sentimento de gratidão pela primeira certificação da unidade. Além de agradecer o trabalho dos mais de mil colaboradores do HMUE, o gestor lembrou que “só conseguimos chegar aqui por um único motivo: foco no paciente. Ele é o mais importante”.

 

Já o diretor Hospitalar do HPEG, Saulo Mengarda, apontou para o próximo objetivo do Galileu: a certificação nível 3. “Esta é mais uma etapa que superamos. O momento é celebração entre os três hospitais e de lembrar que queremos estar entre os dez melhores hospitais públicos do país”, projeta.

 

E como o resultado da acreditação hospitalar é um trabalho de equipe, os colaboradores das três unidades foram representados por colegas que receberam certificados de agradecimento pelo empenho e dedicação no processo que para algumas unidades, como o Metropolitano, durou meses.

 

Colaborador da Pró-Saúde desde 2012, tendo passagens por outras entidades que gerenciaram o HMUE, o coordenador do departamento de Ensino e Pesquisa (DEP), Leonardo Ramos, foi um dos escolhidos para representar os colegas na solenidade. O colaborador ressaltou a honra de representar os companheiros de trabalho. “Meu primeiro emprego foi aqui, toda minha experiência vem deste local”, completou.

O Hospital Galileu foi representado pelo colaborador Luiz Antônio dos Santos Miranda, que desempenha a função de maqueiro na unidade, e o Oncológico Infantil pelo líder de Hotelaria, Fagner Rodrigo Martins Reis.
Qualidade

Os hospitais certificados nesta sexta se juntam aos hospitais regionais Público da Transamazônica (HRPT), em Altamira, do Baixo Amazonas (HRBA), em Santarém, que também possuem selo de qualidade ONA. Estas unidades são as únicas com selo Acreditado com Excelência (ONA 3), reconhecimento máximo concedido pela ONA. Os dois hospitais também são gerenciados pela Pró-Saúde.

Ao obter a certificação de qualidade, os hospitais asseguram à sociedade seu trabalho contínuo na segurança do paciente. Ser reconhecida por instâncias nacionais e internacionais com importantes certificações faz parte de um processo permanente, cujo objetivo é assegurar que todos os pacientes sejam atendidos com eficiência e segurança.

O Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência é o primeiro hospital público de trauma e queimados da região norte com certificação ONA 1. O selo é conferido a instituições que atendem a critérios de segurança do paciente em toda a atividade hospitalar, englobando aspectos assistenciais e estruturais.

O Oncológico Infantil e Hospital Galileu conquistaram a certificação em nível 2, que assegura a excelência na gestão integrada, com processos ocorrendo de maneira fluida e plena comunicação entre as atividades, além de atender aos critérios de segurança do paciente em todas as áreas de atividade. No caso do Oncológico Infantil, a certificação tornou o hospital o único especializado no tratamento de câncer infantil na região a ter selo de qualidade.