Tecnologia a favor da Saúde, por Roberto Sá Menezes

Desde 1549, a história da Santa Casa da Bahia se confunde com a de Salvador, sobretudo no âmbito da saúde. Em 2019, escrevemos mais um importante capítulo com a chegada do robô Da Vinci, que auxilia na realização de cirurgias de alta precisão. Este é o primeiro equipamento em solo baiano, que traz a tecnologia americana para procedimentos delicados, como o câncer de próstata.

O equipamento, que já vinha sendo utilizado em grandes hospitais do país, como o Sírio- Libanês e o Albert Einstein, chegou ao Hospital Santa Izabel para servir como uma extensão dos olhos e mãos do cirurgião, permitindo um procedimento com menor tempo de internação, sendo um avanço tanto para a atuação do médico, quanto para a segurança do paciente.

A primeira cirurgia com o robô Da Vinci aconteceu no dia 23 de março. Junto com sua chegada, inauguramos três novos apartamentos especialmente montados para a recuperação dos pacientes, oferecendo mais conforto e comodidade. O investimento realizado pela instituição permite um avanço significativo no tratamento das doenças de diversas especialidades e na qualificação do corpo médico.

Efeito parecido aconteceu no início da década de 90, quando começamos a atuar com cirurgias por vídeo, também de forma pioneira no estado. Ou quando realizamos a primeira cirurgia do professor Adib Jatene, responsável pela transposição de grandes artérias e que ajuda a corrigir cardiopatias e salvar muitas vidas até hoje.
O comprometimento com a tecnologia é um dos grandes pilares de crescimento do Santa Izabel, que está cada vez mais perto de ser o primeiro hospital baiano a obter a certificação nível 7, concedida pela HealthcareInformationand Management Systems Society(HIMSS) Analytics, que avalia a transformação da área de saúde através do uso da tecnologia e da informação.

Uma das iniciativas mais relevantes neste caminho foi a implantação de um processo digital de checagem beira leito no Pronto Atendimento Pediátrico, que já se estende a todo hospital e permite a conferência do prontuário de cada paciente de forma unificada e digital. Ainda este ano, vamos extinguir totalmente o uso de papel na
assistência, um dos critérios para obtenção da certificação HIMSS7. Em paralelo, colaboradores e gestores dedicam-se para alcançar a Acreditação Internacional QMentum, que orienta e monitora os padrões de alta performance em qualidade e segurança em mais de 30 países.

Os desafios estão sendo superados desde 2017, quando o HSI tornou-se novo integrante e, de lá pra cá, tem recebido visitas constantes para avaliação de desempenho, com exigentes critérios validados mundialmente. Com tantos investimentos em gestão, tecnologia e aprimoramento, a Santa Casa da Bahia segue na certeza de que aliar tradição e pioneirismo é um dos nossos compromissos nestes 470 anos de história e em todos os outros que ainda virão.

*Artigo escrito por Roberto Sá Menezes, provedor da Santa Casa da Bahia, fundador e presidente do GACC-BA (Grupo de Apoio à Criança com Câncer da Bahia), presidente da Associação Brasileira de Hospitais Universitários de Ensino (Abrahue), membro do Conselho Fiscal da Associação Obras Sociais Irmã Dulce (AOSID), do Conselho Fiscal da ANAHP (Associação Nacional de Hospitais Privados) e do Conselho Consultivo da Confederação das Santas Casas do Brasil (CMB).

 

 

Leia o artigo de Roberto Sá Menezes e outras matérias na edição 59 da Revista HealthCare Management.

Veja mais posts relacionados

Sabará tem novo CEO

O Sabará Hospital Infantil, referência nacional e de alta complexidade para tratamento de crianças e adolescentes, apresenta aos seus cuidadores,...