Pró-Saúde é a responsável pela gestão de oito hospitais certificados pela ONA

Antes mesmo da Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 36, que em 2013 tornou a implantação do Plano de Segurança do Paciente obrigatória em todo o território nacional conforme as metas internacionais, a Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar já implantava em seus projetos métricas de qualidade. A entidade, que baseia todos os seus processos em metas internacionais e entrega de resultados, adota a medida desde 2010.

Qualidade

Danilo Oliveira da Silva, diretor Corporativo de Operações (foto), explica que em todas as unidades de saúde gerenciadas pela instituição são implantados núcleos formados por equipes multiprofissionais, que apoiam os trabalhos de mitigação de riscos no atendimento. “É importante frisar que a entidade mantém o desenvolvimento contínuo na capacitação de profissionais para alcançar os melhores resultados assistenciais, pois trabalhamos com a prevenção”, ressalta.

Resultados

Essas ações, realizadas a partir do envolvimento de diversos aspectos diários das unidades, permitiram uma redução de taxas de infecção, prevenção de acidentes e estímulo a projetos que promovam a qualidade no atendimento. O modelo de gestão por excelência fez história: nos últimos anos, foram 14 unidades certificadas pela principal acreditadora do País, a Organização Nacional de Acreditação (ONA). “A estratégia surgiu do objetivo principal de trabalharmos em busca da qualidade para alcançarmos maior eficiência assistencial e redução de custos”, destaca.

 

Desafio

Para Silva, o processo de acreditação é sempre uma experiência desafiadora, mas que vem sendo amadurecida ao longo dos anos, com resultados importantes para a gestão e, principalmente, para os pacientes atendidos nessas unidades. Na busca pelos selos, o diretor de Operações destaca o decorrente aperfeiçoamento da prática de qualidade e segurança assistenciais, com os processos integrados.

Indicadores

Outro fator importante é que certificação permite a definição de indicadores que garantem os resultados obtidos. Trata-se de um conjunto de dados que permite mapear, identificar e agir de modo assertivo para a melhora dos indicadores. “A experiência da Pró-Saúde com as certificações da ONA também é estratégica para a gestão, na medida em que a instituição se permite avaliar por uma entidade externa, isenta e comprometida com os resultados.”

ONA

Atualmente, das oito unidades acreditadas pela ONA sob gestão da Pró-Saúde, possuem o nível 3 – Acreditado com Excelência – os Hospitais Oncológico Infantil Octávio Lobo e o Público Estadual Galileu, ambos em Belém, o Hospital Regional do Baixo Amazonas, em Santarém, e o Hospital Regional Público da Transamazônica, em Altamira, todos no Pará. No nível 2 – Acreditado Pleno – estão o Hospital Yutaka Takeda, unidade privada no Pará, o Hospital Estadual de Urgência e Emergência, em Vitória (ES) e o Hospital Memorial Arthur Ramos, em Alagoas. Já o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência, em Ananindeua, na região metropolitana de Belém, foi recomendada para a manutenção da ONA 1 – Acreditado.

Projetos

Em contrapartida, no decorrer de 2020, a instituição filantrópica pretende conquistar certificações para três novos hospitais, dentre eles o Hospital Santa Juliana, no Acre, onde a Pró-Saúde realiza um trabalho de assessoria e deve levar a primeira acreditação do Estado. “Claro, ainda existem as manutenções e upgrades das certificações de unidades gerenciadas. O Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência, por exemplo, já se preparar para o nível 2 da certificação e, também, pretendemos alcançar o nível máximo de excelência, a ONA 3, para o Hospital Yutaka Takeda.”

Consolidação

A cultura da Qualidade e Segurança do Paciente já se consolidou como parte do dia a dia dos hospitais, amplamente reforçada durante a promoção de ações de aperfeiçoamento dos profissionais. “Nosso desafio agora, talvez um dos mais importantes, é trabalhar para envolver o paciente neste processo, nas ações de qualidade e segurança assistencial, empoderando-os e compartilhando as ações e decisões sobre o restabelecimento de sua própria saúde.”

Paciente

Para Viviane Lesses, gerente do Núcleo de Qualidade e Segurança do Paciente (NQSP) do Hospital Oncológico Octavio Lobo Octávio Lobo, em Belém (PA), já é possível avaliar a percepção do usuário diante do atendimento de excelência. “Avaliamos por meio do acompanhamento permanente da evolução dos indicadores de Q&S assistenciais e também diretamente com o paciente.”

Satisfação

De acordo com Lesses, as certificações ajudam as unidades gerenciadas pela Pró-Saúde a melhorarem seus índices de satisfação. No caso do Hoiol, a taxa hoje alcança os 90%; e, em alguns casos, a apuração já chegou a indicar de 96% a 98%. “Levamos essas avaliações bem a sério, porque são realizadas com critérios padronizados de apuração”, explica. “São as sistemáticas que garantem o desempenho dos processos em uma unidade hospitalar.”

Experiência

A experiência do paciente, afirma a gestora, traduz-se como a entrega de um cuidado seguro, de alta qualidade, em um ambiente de satisfação, visando alcançar um serviço de saúde guiado por valor. E é essa experiência que vem evoluindo como diferencial estratégico, e crescendo como importante medida de desempenho para hospitais. “Trata-se de fazer ‘com ele’, ao invés de ‘para ele’ e, assim, proporcionar uma excelente experiência.”

Cultura

Miguel Paulo Duarte Neto, diretor Executivo-Geral da Pró-Saúde, acredita que as mudanças proporcionadas pela certificação ONA vão além do âmbito assistencial e envolvem todo o universo da gestão. Mas, para ele, o ponto principal de evolução se conecta diretamente à cultura. “As certificações ajudaram a imprimir nas unidades uma cultura científica de busca pela qualidade entre todos os colaboradores. É um processo de união e engajamento em que todos se envolvem, querem aprender e querem se comprometer. E isso é o que faz a maior diferença.”

Constância

Hoje, as unidades gerenciadas pela Pró-Saúde atuam com metas objetivas, que levam em conta a realidade de cada localidade. “Por mais distante que o hospital esteja”, afirma o diretor Executivo, “certamente você encontrará em um colaborador esse espírito engajado e comprometido com as melhores práticas assistenciais para o paciente.” E a Pró-Saúde pretende continuar contribuindo, cada vez mais, para a melhoria dos serviços de saúde no País.

Missão

“Não importa o lugar e o grau de dificuldade onde os hospitais estão localizados. A Pró-Saúde tem em seus mais de 50 anos de história uma vivência que a fez compreender as reais necessidades de brasileiros.” Com mais de 1,1 milhão de pessoas atendidas por mês, nas cinco regiões do país, Neto afirma que esse é um entendimento que apenas a experiência proporciona. “Enfim, são desafios diferentes. Mas que, em todos eles, permanece presente os valores que deram vida à Pró-Saúde.”

Está matéria e muito mais você confere na revista Healthcare Management edição 63!

Próximo Post
  ASSINE A NEWSLETTER

WEBINÁRIO | Covid-19

HCM | Edição 70

Assine as revistas do Grupo Mídia

Quer falar com o mercado da saúde?
Fale com a gente!

16 3913 – 9800

Assinaturas e circulação: assinatura@grupomidia.com
Atendimento ao leitor: atendimento@grupomidia.com
Redação: redacao@grupomidia.com
Comercial: comercial@grupomidia.com