Clicky

O impacto do planejamento da instituição de saúde em sua futura expansibilidade

Utilizando o corpo humano como parâmetro, não seria hipérbole chamar a construção de coração do Grupo Teixeira Duarte. Fundado em 1921, o Grupo também atua em cinco outros setores: Concessões e Serviços, Imobiliário, Hoteleiro, Distribuição e Automobilístico. Mas, em sua cerne, a empresa sempre se colocou como uma verdadeira casa de Engenharia.

Tamanha paixão e pioneirismo levaram a Teixeira Duarte a atuar em 21 países; e tamanho know-how a consagrou como uma das construtoras de maior expertise no que concerne à construção e infraestrutura hospitalar. Dos investimentos em corpo técnico à capacitação das equipes de campo com base nas normas e boas práticas de engenharia, a construtora se especializou em obras de alta complexidade.

“Em todas as obras, principalmente nas de alta complexidade como as do segmento hospitalar, dimensionamos sempre um corpo técnico altamente capacitado, visando não somente o gerenciamento dos trabalhos contratados, mas também participando desde o início do estudo de soluções técnicas e econômicas”, explica o Engº Civil Fernando Martins, diretor da Teixeira Duarte.

Como consequência, o produto final, quando entregue, sempre incorpora a longa experiência técnica da Teixeira Duarte, obtendo um resultado final que supera as expectativas iniciais, explica Martins, que é justamente o que firma parcerias de longa data.

Expansibilidade

Uma das principais preocupações da Teixeira Duarte, talvez justamente devido à longa duração de suas parcerias, é a possibilidade de futuras ampliações dos edifícios construídos. No planejamento, expansibilidade é a palavra-chave. “Nos serviços de instalações, nossos profissionais procuram facilitar futuras manutenções, expansões e segurança nestes processos” explica o diretor.

A flexibilidade dos espaços, enquanto prevenção à necessidade de expansão, também figura entre as preocupações da empresa. “As soluções técnicas proposta pela Teixeira Duarte, quando solicitado pelo cliente ficam preparadas para se adaptar a diferentes condições de uso, quer a nível de instalações técnicas, quer a nível estrutural.”

Cuidado cirúrgico

Correntemente executadas em simultaneidade com o funcionamento do hospital, a execução de atividades de construção e reforma na Saúde são, via de regra, mais complexas. Cuidados especiais de segurança, higiene, ruído e logística precisam ser tomados, uma vez que muitas das áreas de trabalho são adjacentes às salas, consultórios e ambientes de circulação de pacientes e médicos do Hospital, conta Martins.

“Como exemplo destes cuidados podemos citar a execução de tapumes vedados à circulação de impurezas, utilização de exaustores para captação de odores provenientes de produtos químicos (tais como cola, verniz, tinta, etc.), limpeza constante das áreas de circulação dos operários, sinalização dos ambientes afetados pela obra.”

Especificações hospitalares

Além do cuidado com o ambiente em funcionamento, dificuldades técnicas também são mais frequentes, explica o diretor, quando se trata de obras hospitalares. “As especificações são maiores, envolve-se sistemas de condicionadores de ar ultra filtrantes, centrais de água gelada, integrações de sistemas de automação complexos.”

“Com isso, demandamos maior tempo em criar soluções construtivas que gerem menos impacto ao cliente final, como o fracionamento de frentes de serviço, construções de novas áreas para atendimentos temporário, além da preocupação no isolamento de áreas, evitando o risco de contaminações cruzadas entre ambientes em pleno funcionamento com áreas em construção” esclarece o engenheiro.

Hospital Carlos Chagas

São mais 3.200m² de obras confiadas à Teixeira Duarte pelo centro médico de Guarulhos, São Paulo. No Hospital Carlos Chagas, centro cirúrgico, farmácia, cozinha, elevadores, centro administrativo, unidade de diagnóstico, pronto socorro adulto e central de água gelada passaram por obras com o hospital em pleno funcionamento.

Com tantos serviços a serem executados em áreas distintas da Instituição, atuar de forma sinérgica à equipe médica foi um desafio à parte, em especial nos ambientes de circulação intensa e atuação crítica. “Executamos os serviços de modernização do sistema de ar condicionado das Salas Cirúrgicas, ao mesmo tempo em que o ambiente cirúrgico continuava operante, demandando grande atenção às vedações de obra, realizadas com tapumes navais” conta Martins.

Hospital Alvorada Moema

Na unidade Moema do Hospital Alvorada, a equipe da Teixeira Duarte já vem desenvolvendo diversos trabalhos há mais de um ano. Neste período, já foram realizados retrofit total da fachada, construção da UTI e leitos de internação pediátrica, adequações diversas para o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros, e retrofit do setor de nutrição e dietética.

Ao todo, até agora, pouco mais de 2 mil m² passaram por intervenção. Mesmo com baixa geração de ruído e sujidades, no centro médico paulistano, a construtora teve de organizar sua equipe para que algumas tarefas fossem realizadas em horários extraordinários.

“Essas dificuldades são comumente contornadas pela equipe da obra através do know how em execução de trabalhos desta mesma tipologia, que buscam sempre as melhores soluções disponíveis no mercado, a fim de garantir o funcionamento pleno do Hospital durante todo o prazo de intervenções das obras.”

Hospital Alvorada Brasília

Prova do sucesso em suas parcerias, o Hospital Alvorada de Brasília também confiou à Teixeira Duarte a reforma de seu segundo pavimento, englobando UTI, Dayclinic e sala de procedimentos. No processo, foram realizadas as instalações elétricas, hidráulicas, gases medicinais, sistema IT médico, chamadas de enfermagem, voz, dados, climatização e, ainda, o retrofit de todas as instalações de rede de incêndio, hidrante e sistema de detecção alarme de incêndio.

A empresa também executou o novo entorno do hospital, a nova central de gases e o retrofit da cobertura, com um novo sistema de condutas e impermeabilizações. Entre tantas áreas, o diretor da Teixeira Duarte conta que chegou a haver até nove frentes de serviços dispersas para atender aos prazos.

Sustentabilidade

Em todos os seus projetos, após compreender o local em que o projeto será desenvolvido, os materiais a serem utilizados são escolhidos com base no custo previsto, com a melhor qualidade possível dentro dos parâmetros estabelecidos. Mas, em cada caso, as normas ambientais são estritamente seguidas. Tamanha preocupação com o meio ambiente levou a Teixeira Duarte a conquistar a certificação ISO 14001 em todos os seus processos.

“Elaboramos um documento chamado ‘Boletim de Aprovação de Materiais’, que consiste na especificação técnica do produto que pretendemos adquirir para realização das obras” explica Martins. “Com o know how adquirido em áreas hospitalares, conseguimos viabilizar os projetos diretamente com nosso corpo técnico, analisando estudos de casos de reengenharia e na elaboração de novos conceitos.”

Esta matéria foi publicada originalmente na edição 62 da revista Healthcare Management.

Próximo Post

HCM | Edição 76

  ASSINE A NEWSLETTER

Assine as revistas do Grupo Mídia

Quer falar com o mercado da saúde?
Fale com a gente!

16 3913 – 9800

Assinaturas e circulação: assinatura@grupomidia.com
Atendimento ao leitor: atendimento@grupomidia.com
Redação: redacao@grupomidia.com
Comercial: comercial@grupomidia.com