Na busca por acreditação, Hospital Jayme da Fonte realiza mudanças, mas mantém tradições

Pode parecer novidade, mas o hábito de buscar ao redor do globo equipamentos, formatos de gestão e modelos de serviço que garantam maior sucesso nos negócios implementados no Brasil não é de hoje. Talvez por costume ou, talvez, por que de fato funcione, a prática perpetua-se através de história inclusive em momentos de tensão político-econômico-sociais.

Nunca é, no entanto, um mau momento para empreender com excelência; ou, pelo menos, foi o que pensou Jayme da Fonte, ao buscar em países da Europa e América do Norte aquilo que havia de mais moderno para o hospital que estava prestes a inaugurar. No eixo da década de 1950, o pronto-socorro da instituição foi o primeiro de atendimento privado em Recife; alguns meses antes, o último foco do Aedes aegypti no Brasil era erradicado, mas a população ainda carecia de serviços médicos especializados de qualidade.

O momento se assemelha, mas muito mudou desde então; o conceito de busca pela excelência, no entanto, perdura. 64 anos após sua fundação, o Hospital Jayme da Fonte se classificou como Hospital Acreditado ONA, o primeiro dos três níveis de acreditação da Organização. Para João Lampropulos, diretor técnico do centro médico, é só o começo de uma jornada.

Para ele, os principais desafios por trás da conquista foram sem dúvidas a mudança cultural, o envolvimento do corpo clínico, em especial dos próprios médicos, e o engajamento das equipes de modo geral. “Foi complexo, mas, à partir disso, tivemos aumento no fluxo de atendimento, do quadro funcional em cumprimento às exigências da certificadora, e consequente crescimento dos nossos custos, mas com otimização dos trabalhos e capacitação de pessoal.”

João Lampropulos, diretor técnico do Hospital Jayme da Fonte

Instalado em uma região estratégica da capital de Pernambuco, o HJF também investiu cerca de R$ 6 mi naquilo que os tornou pioneiros no município: a nova Unidade de Urgência e Emergência terá sua área física expandida, assim como o contingente responsável pelo setor. “Expandimos o número de equipes, tanto na área médica quanto de enfermagem, adquirimos novos equipamentos e, ainda, investimos em tecnologia da informação, por meio do prontuário eletrônico.”

A perspectiva, segundo Lampropulos, é dobrar a soma de 1.600 atendimentos de urgência ao mês no espaço de um semestre, mantendo o aumento percebido no que diz respeito à qualidade dos serviços prestados. Para isso, os investimentos em manutenção dos processos implementados e em educação continuada dos 800 colaboradores da instituição continuam à todo vapor. “Com a criação de indicadores que permitem a otimização da operação, envolvemos todas as áreas afins e realizamos reuniões semanais para avaliação dos resultados financeiros.”

Para evoluir cada vez mais dentro dos níveis de certificação da ONA, o Hospital Jayme da Fonte buscou ainda novas práticas de governança institucional. “Esse é um dos pontos mais importantes para nós” conta o diretor “tanto que incorporamos às nossas rotinas práticas como auditorias internas e avaliação de riscos assistenciais e financeiros.”

No caminho rumo à excelência, os investimentos em novos equipamentos de TI do HJF chegaram a R$ 600 mil. “Todas as empresas modernas precisam adotar, sistematicamente, iniciativa em TI que garantam segurança e eficiência” explica Lampropulos. “Investimos em dispositivos como servidores e computadores para a implantação de prontuário eletrônico e prescrição médica eletrônica, pois entendemos sua importância.”

Embora grande parte da trajetória da acreditação já tenha sido percorrida e objetivos como assistência de qualidade, maior eficiência no atendimento, segurança para o paciente e padronização dos processos já tenham sido alcançados, o diretor ainda enxerga muito a ser feito. “Há mais de seis décadas trabalhamos de acordo com a tradição pernambucana, com foco em segurança e qualidade. E, assim, buscamos ser a primeira escolha como referência em excelência em saúde do Nordeste.”

Esta matéria e muito mais você encontra na edição 60 da revista Healthcare Management.

Veja mais posts relacionados