HSM Expo: autoconhecimento como fator-chave para acompanhar a evolução tecnológica

No segundo dia de evento, nomes como Yuval Harari, Steven Kotler e Jill Ader defenderam a busca pelo propósito como um diferencial para sobreviver ao futuro

No segundo dia da HSM Expo 2019, um tema permeou toda a discussão das palestras durante o dia: a importância de ter autoconhecimento. O impacto pode estar relacionado tanto à busca por um propósito de vida em um mundo em que cada vez mais profissões sofrem o impacto da tecnologia ou ao outro espectro, o de ter organizações verdadeiramente eficientes e competitivas.

Em um mundo com tecnologias que avançam cada vez mais rápido, é necessário estar atento. Esse foi o aspecto central da palestra de Yuval Harari, autor dos best-sellers Sapiens: uma breve história da humanidade e Homo deus: uma breve história do amanhã e21 lições para o século 21.

“A tecnologia pode causar uma mudança profunda da nossa biologia, a habilidade de recriar a engenharia da vida humana. Depois de anos guiados pela seleção natural, vamos entrar em uma nova era de vida. O avanço da tecnologia significa que governos e empresas estão cada vez mais próximos de hackear milhões de seres humanos. Nesse processo, é fundamental seguir um conselho antigo: conhecer a si mesmo”, destacou.

O historiador ainda destacou quais são os principais desafios para a humanidade no século 21: o retorno da guerra, o colapso ecológico e a disrupção tecnológica. “Nós estamos diante de um cenário em que a inteligência artificial pode criar uma legião de pessoas inúteis, não do ponto de vista pessoal, mas sim de acordo com a visão política e econômica de ocupação e emprego. Pessoas precisarão se reinventar e é necessário ter o apoio de governos e setor privado para que isso seja feito de maneira adequada. A habilidade mais importante para o mercado de trabalho no futuro será ensinar como aprender e como continuar mudando ao longo da vida”, completou.

O discurso foi endossado por Jill Ader, presidente da Egon Zehnder e primeira líder feminina a trabalhar com consultoria de liderança e pesquisa de executivos de nível internacional. Em sua fala, a liderança a serviço do propósito de fazer o bem a partir do autoconhecimento tomou fôlego.

“Sejam curiosos sobre vocês mesmos. O local de trabalho é cada vez mais complicado e demanda muito de nós. E depende de autoconhecimento diminuir essa lacuna sobre o que é esperado e as habilidades que temos. Líderes têm de transformar a si mesmos para alcançar esse objetivo nas organizações”.

E, de acordo com Steven Kotler, um dos mais importantes especialistas da atualidade em expansão da consciência e máximo desempenho humano, atingir esse potencial depende de atenção plena, um estado de consciência denominadoflow.

“Menos é mais. Reduzir, desativar áreas é o que verdadeiramente colabora para a atenção completa. Existe um ponto positivo nisso, que é a ausência de ansiedade e medo. Quando estamos nesse estado, hormônios de estresse saem do nosso sistema. Cinco dos neuroquímicos mais potentes aparecem ao mesmo tempo e trazem o que chamamos de triângulo do alto desempenho: motivação, criatividade e aprendizado”, afirmou.

De Conselho para Conselho –À tarde, David Feffer, presidente do conselho de administração da Suzano Papel e Celulose, conversou com Daniel Castanho, presidente do conselho do grupo Ânima Educação e debateu os principais desafios para líderes: “Eu acho que o papel mais importante deve ser o de formar um conselho potente, de pessoas que façam com que exista uma sintonia muito boa entre o curto e o longo prazo, que estimule a diversidade e consiga conversar com a gestão para atuar de forma eficaz e estratégica”, frisou.

Inspiração para inovar –À tarde, Marcello Dantas, renomado curador de exposições brasileiro, destacou a importância do pensamento artístico e de realizar experiências sensoriais como forma de estimular a inovação. “Qualquer transformação só acontece de forma coletiva. As experiências imersivas são capazes de fazer o que talvez seja o que todos nós tentamos fazer quando nos comunicamos: causar uma impressão relevante e duradoura nas pessoas.”, destacou.

Em seguida, Graciela Fernandez Quintas, presidente da Cooperativas das Américas, mostrou a importância desse modelo de negócio e seu crescimento na sociedade atual – não somente como organizações a serviço do lucro, mas como instrumentos de bem-estar sem perder de vista a sustentabilidade e o compromisso com os sócios.

“Aprender não é fácil, exige tempo, dedicação e sobretudo humildade. O sistema cooperativo é complexo. É um sistema de desafios, histórico e que demonstrou passar pelas crises mais graves e sérias que já aconteceram no mundo. Temos desafios globais assim como o resto do setor empresarial, mas cooperativas procuramos resolvê-los de acordo com a nossa agenda, que vai respeitar os princípios e valores e, principalmente o fato de que queremos viver num mundo melhor”, destacou.

O dia terminou com a palestra de Jonathan Medved, fundador e CEO da OurCrowd, a maior plataforma do mundo decrowdfundingde capital para investidores credenciados. Com uma palestra voltada à democratização dos investimentos, também destacou a necessidade global de inovação. “Inovação não é algo que você pode ter, é algo que você tem de aplicar. Não importa qual o setor em que você esteja, ele será transformado pela tecnologia. Arrisque, teste, este é o melhor momento para isso”, finalizou.

Hoje, dia 6 de novembro, a HSM Expo chega a seu último dia com destaques nomes como Ariana Huffington, fundadora do The Huffington Post, e William Kamkwamba, malauiano compartilhará sua história que inspirou o filme do Netflix “O menino que descobriu o vento”.

SERVIÇO
HSM Expo 2019
Quando:6 de novembro
Horário:Das 8h30 às 19h30
Local:Transamérica Expo Center em São Paulo – Avenida Doutor Mário Vilas Boas Rodrigues, 387 – Santo Amaro

Veja mais posts relacionados

Dasa e Ímpar anunciam plano de união

Duas das principais empresas do setor de saúde brasileiro, Dasa, líder em medicina diagnóstica, e Ímpar, segunda maior rede independente de hospitais,...