Executivos e governo reúnem-se para falar do colapso da saúde

Com o objetivo principal de discutir os desafios enfrentados diariamente por um líder do setor de saúde, o CONEXs (Congresso Nacional de Executivos da Saúde), evento promovido pelo CBEXs (Colégio Brasileiro de Executivos da Saúde), acontecerá na próxima terça-feira (15), em São Paulo. Pautado por temas relevantes e discussões de qualidade, focadas em um conteúdo dinâmico e inovador, o congresso contará com mais de 20 palestrantes nacionais e internacionais de alto nível, promovendo um encontro entre os principais tomadores de decisão do setor.

A programação terá início às 9h e seguirá por todo o dia. Para a abertura, o secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Francisco de Assis Figueredo, e o secretário de Saúde de São Paulo, José Henrique Germann, estarão ao lado do presidente do Conselho de Administração do CBEXs, Francisco Balestrin.

Na sequência acontecerá a primeira palestra internacional, com Mark Britnell, líder global da prática de healthcare da KPMG, na palestra homônima ao livro de sua autoria: Human solving the global workforce crisis in healthcare (Humanos resolvendo a crise global da força de trabalho na área da saúde, em tradução literal). Segundo Britnell, até 2030, o mundo terá cerca de 15 milhões de trabalhadores na área da saúde – um quinto da mão de obra necessária para manter os sistemas de saúde em funcionamento. O líder global em saúde ainda usa suas ideias únicas para aconselhar governos, executivos e clínicos em mais de 70 países, a fim de apresentar soluções para essa crise iminente. A palestra será moderada pelo presidente do InRad (Instituto de Radiologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), Giovanni Guido Cerri.

PROGRAMAÇÃO

O subfinanciamento, a incompetência de certos gestores e o descaso de parte expressiva da classe política continua ampliando o número de vítimas na saúde pública e na medicina suplementar do Brasil. Paradoxalmente, temos em nosso país um dos melhores projetos de sistema universal de saúde, enquanto a injeção de recursos ao setor é uma das piores do planeta. Ano após ano a população se multiplica, novas doenças e novos procedimentos são identificados, mas, ao mesmo tempo, lidamos com a volta de doenças já extintas. Todos esses aspectos relacionados ao desenvolvimento da sociedade contraditoriamente pressionam o sistema de saúde, que necessita de mais dinheiro para continuar atendendo a toda a demanda, oferecendo recursos médicos mais modernos e eficientes. O debate “Colapso, fato ou narrativa?” trará Alexandre Ruschi, diretor presidente da Unimed; Claudia Cohn, diretora executiva do Alta Medicina Diagnóstica/DASA; Daniel Coudry, CEO da Amil; e Lígia Bahia, professora da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) para aprofundar essas questões.

Iniciando a programação da tarde, o Conexs receberá o presidente da Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares, Alexandre Lourenço, falando dos desafios dos executivos globais de saúde. Ele dividirá sua experiência ao atuar como administrador hospitalar na Universidade e Centro Hospitalar de Coimbra, e professor convidado em programas de formação de executivos em gestão de saúde na Católica Lisbon School of Business & Economics. Lourenço é ainda, desde 2014, consultor da Organização Mundial de Saúde.

Na sequência o painel “Diferentes elos, diferentes visões?” ressaltará como o sistema de saúde no Brasil se caracteriza pela excessiva fragmentação, com um olhar fatiado, reducionista, que permeia os diferentes elos da cadeia de valor da saúde no Brasil e no mundo. Buscando substituir essa abordagem fragmentada por um olhar sistêmico que promova o bem-estar do indivíduo, conecte-o ao sistema e reduza o uso de serviços convencionais de saúde, os participantes do CONEXs ouvirão Franco Pallamolla, presidente da ABIMO (Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos, Odontológicos, Hospitalares e de Laboratórios); José Luiz Gomes do Amaral, presidente da APM (Associação Paulista de Medicina); Mauro Junqueira, presidente do Conasems (Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde); e Nelson Mussolini, presidente do Sindusfarma (Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos do Estado de São Paulo), relatando experiências, principais desafios, resultados e visão de futuro dessa estratégia em cada uma das instituições que presidem.

Diante da competitividade do mercado, o desenvolvimento da liderança vem sendo assunto-chave em diversos eventos estratégicos do setor. Um dos grandes desafios dos líderes é analisar quais competências e ferramentas de desenvolvimento devemos focar para conquistar qualidade na liderança no setor de saúde do Brasil, levando em consideração a complexidade dos desafios do contexto e as mudanças que esse setor vem passando nos últimos anos. O talk show “O perfil do líder do futuro” buscará responder como os líderes do setor deveriam estar se preparando para atuar neste cenário de mudança e trará Ana Maria Malik, diretora adjunta da PROHASA (Programa de Aprimoramento Profissional em Administração em Saúde do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo); Diogo Costa, diretor daEnap (Escola Nacional de Administração Pública); Denise Santos, CEO da BP; e Patricia Ellen, secretária de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo.

No encerramento do evento ocorrerá o “Hi Talks CBEXs Futuro”, com a general manager do CBEXs, Larissa Eloi; o coordenador do Projeto CBEXs Futuro, Eduardo Santana; a discente do projeto, Isadora Bittar Floriani; bem como o docente e patrono do projeto, Paulo Chap Chap, falando a respeito do projeto que visa capacitar jovens líderes da saúde para gerir o setor de saúde nos próximos anos.

Veja mais posts relacionados