Cinco qualidades do líder 4.0

Liderança é sempre um tema interessante e muito proveitoso. A transformação da sociedade está diretamente relacionada com a qualidade dos seus líderes. Como estes estão à frente de grandes ou pequenas corporações, eles são os nascedouros das ideias, teorias e inovações sociais.

Muitas organizações fracassam por não ter um líder preparado para os desafios pertinentes à Gestão 4.0. Felizmente o paradigma de que os líderes nascem prontos já está superado. Hoje, sabemos que a construção de um grande líder precisa de conhecimento, dedicação e persistência.

Dentre os vários pilares construtores da liderança separei cinco de extrema importância no contexto 4.0.

Inteligência Interpessoal (Ser hábil comunicado)

Parafraseando John C. Maxuell, existem líderes que transformam a simplicidade em algo muito complicado e existem líderes que transformam a complexidade em algo simples de ser entendido e aplicado. Portanto, é indispensável o líder entender que a comunicação não é o que é dito, mas também o que não é dito por meio da linguagem corporal.

Há maiores chances de sucesso se a mensagem for:

  • Clara
  • Simples
  • Objetiva
  • Feita observando-se o ouvinte.

Nenhum destes pontos serão eficientes se a mensagem corporal não estiver alinhada com as palavras ditas. Especialistas afirmam que a linguagem do corpo contribui com mais de 50% no sucesso da comunicação.

Ser justo em reconhecer o mérito de seus pares e colaboradores

Reconhecer o mérito alheio é motivador, mostra credibilidade e segurança. Um talento não ofusca outro, ao contrário, agrega valor ao conteúdo. Sejamos sinceros, é muito frustrante ver o líder se apossar de ideias dos colaboradores como se fossem suas. Este tipo de atitude faz com que as organizações percam seus talentos, além de criar um ambiente desfavorável ao trabalho de equipe.

Inteligência Intrapessoal

Estudos demonstram que o líder passa em média 50% do seu tempo liderando a si próprio. A inteligência intrapessoal é muito primordial porque consegue anular grande parte do que poderia fazer a liderança não acontecer. O grande filósofo Platão dizia: “ a primeira e maior vitória é a conquista de si mesmo”.

Faz se necessário, portanto, manter o foco nas prioridades, manter a autodisciplina, enfrentar os problemas ao invés de achar desculpas ou culpados e manter sempre atenção ao resultado, corrigindo a rota quantas vezes for necessário.

Pré-disposição para aprender sempre

Muitas vezes os líderes têm a convicção de que não precisam continuar a aprender e ficam acomodados em sua zona de conforto. Para um mundo 4.0 onde o conhecimento se altera a cada hora, é impossível praticar uma liderança bem-sucedida sem aprendizados constantes.

Considero este aspecto fundamental para liderar no mundo 4.0, porque ele pode bloquear a comunicação e fazer a organização errar ou perder oportunidades.

A falta de expansão da zona de conforto pode inclusive fazer um profissional ser considerado velho aos 30 anos, por ele não entender que o mundo não vai mudar, porque ele já mudou.

Citando novamente John C. Maxuell, em sua brilhante explicação: “Seu crescimento determina quem você é. Quem você é determina quem você atrai. Quem você atrai determina o sucesso de sua organização.”

Ter visão de futuro

Uma líder precisa claramente visualizar o que ele deseja de si mesmo e de seus colaboradores. Sem a visão bem definida pelo líder não há como sua equipe desempenhar um bom trabalho, porque não haverá como implementar parâmetros para indicar se as estratégias estão adequadas ou não.

Popularmente se diz: “se você não sabe para onde vai, qualquer caminho serve!” A visão é extremamente agregadora porque norteia toda a equipe dizendo onde se deve chegar.

A construção da visão está relacionada com os quatro pontos anteriormente destacados. Impossível obter visão clara sem habilidade de comunicação, sem ter atitudes de credibilidade, sem possuir inteligência intrapessoal e, por fim, sem manter-se sempre disposto a aprender.

Para finalizar, devemos sempre lembrar que o líder não escolhe o liderado, mas ao contrário, o liderado escolhe o líder.

Fica a reflexão: você escolheria você mesmo como líder?

Este artigo, redigido por Marcia Mariani, CEO do Serviço de Inteligência Ambiental, foi publicado na 61º edição da revista Healthcare Management.

 

Veja mais posts relacionados