Infraestrutura, Transporte e Mobilidade

Amsterdã Inova no Transporte Público

Capital holandesa melhora experiência dos usuários do transporte público com implantação de novos sistemas e equipamentos que facilitarão aos passageiros a compra de bilhetes de forma confortável, simples e no menor tempo possível.

A implantação de uma tecnologia de ticketing no metrô, trens e ônibus de Amsterdã, capital da Holanda, tem
melhorado a experiência de uso dos passageiros do transporte público. A GVB, a operadora do transporte público municipal da cidade, investiu na implantação da tecnologia nos meios de transporte da capital holandesa, a fim de melhorar a experiência de uso dos passageiros.

A Indra, uma das principais empresas de ticketing no mundo, foi a empresa selecionada para implantar o projeto. Concretamente, a Indra vai implantar entre 130 e 140 máquinas de venda automática de bilhetes de transporte, que incluem equipamentos para pagamento em dinheiro e com cartão nas estações de metrô, bem como unidades que permitem unicamente o pagamento com cartão, tanto no metrô quanto nas paradas de ônibus e estações de trem.

De acordo com os requisitos exigidos pela GVB, os novos sistemas e equipamentos facilitarão aos passageiros a compra de bilhetes de forma confortável, simples e no menor tempo possível. As máquinas de venda automática cumprirão as regras e pautas estabelecidas para o sistema de bilhetes nacional holandês baseado no cartão único de transporte OV-Chipcard.

A proposta foi selecionada em licitação pública da qual participavam outras sete empresas internacionais de países como a Hungria, França, Alemanha, Suécia e Holanda. Entre os aspectos mais valorizados na oferta, destaca-se a tecnologia própria avançada, avaliada por inúmeras e importantes referências em todo o mundo e com uma flexibilidade que permite adaptação máxima ao desenho conceitual proposto pelo cliente, totalmente focada no usuário, bem como a capacidade para desenvolver e implementar a solução em um tempo recorde, inferior a dois anos.

O contrato compreende, adicionalmente, serviços de formação, suporte, monitoramento e manutenção durante sete anos. Além disso, deixa a porta aberta a pedidos adicionais que possam cobrir a constante necessidade de novas máquinas de autovenda similares, que provocaria a eliminação do pagamento em dinheiro dos bilhetes a bordo de ônibus e trens, prevista durante os anos de vigência do contrato. O objetivo da GVB é que os passageiros comprem seus bilhetes antes de sua viagem e contar com máquinas de venda automáticas nas paradas ajudará nesse sentido.

Metrô de São Paulo
A Indra possui um projeto semelhante a esse na cidade de São Paulo que consiste na implantação dos sistemas de controle de acesso e validação de bilhetes para as 11 estações da extensão da Linha 5 (Lilás). Os sistemas permitem processar e gerenciar simultaneamente tanto bilhetes magnéticos como cartões sem contato (contacless) do Bilhete Único e os cartões da área metropolitana (BOM), garantindo a intermodalidade entre metrô e ônibus nas áreas urbanas e metropolitanas de São Paulo.

De acordo com Tomás Melero, Diretor de Transporte Urbano e Interurbano da Indra, para o metrô de São Paulo, a empresa desenvolveu um projeto que consiste em implementar os sistemas de controle de acesso e validação de passagens, em um sistema similar ao que foi instalado no sistema de metrô da capital holandesa. O Metrô de São Paulo tem previsto passar dos 74 quilômetros de rede atuais para 338 quilômetros em 2030.

A forte expansão da rede implica a necessidade de novas soluções de controle, segurança, telecomunicações, bilhetagem, entre outros. “Graças a essa parceria, hoje a Indra posicione-se como um dos principais fornecedores
tecnológicos do metrô de São Paulo. Nosso objetivo é seguir contribuindo com os sistemas de transporte das cidades brasileiras, que têm uma crescente necessidade de expansão rápida e programática, e que certamente podem contar com a Indra para responder a este desafio”, explica.

Os projetos para os sistemas de transporte de Amsterdã e de São Paulo reforçam a posição da Indra no mercado internacional de transportes, de forma que a companhia está apostando em valorizar seu know-how em soluções e sistemas e inovando em alguns dos principais programas e projetos de I+D da UE.

A companhia recentemente também ofereceu um contrato com a Highways England, a autoridade responsável pela rede de estradas estratégicas da Inglaterra, para implantar a tecnologia de gestão de seus túneis, baseada na solução de desenvolvimento. A empresa também implantou esta mesma tecnologia para gerir os 12 túneis importantes referências no setor do transporte em países como a Irlanda, Portugal, Grécia, Chipre, Polônia, Bulgária ou Espanha
No âmbito da inovação, participa em diferentes projetos na base de Shift2Rail, a principal iniciativa europeia de I+D+i no setor ferroviário, e lidera, entre outros, o macroprojeto Transforming Transport, que utiliza o big data para
melhorar a mobilidade na Europa, ou o projeto AUTOCITS, que vai testar a direção autônoma em Lisboa, Madri e Paris.

Previous ArticleNext Article