Ideias, Tendências, Líderes e Práticas

Desbloqueando o poder do monitoramento real de usuários

A transformação digital está reinventando o modo como as empresas vendem e os clientes compram em aplicativos. As empresas estão desenvolvendo experiências de usuário únicas e interativas por meio de aplicativos em camadas, que são adaptados ao comportamento dos clientes. Dessa forma, é possível consumir de qualquer dispositivo, em qualquer lugar. A computação e o consumo para todos é a meta das empresas. O foco da transformação digital é reduzir as barreiras do consumo de serviços, também conhecido como consumo sem atrito. Nesse contexto, as experiências móvel e na Web estão no centro do movimento que transforma o cenário digital. E no cerne dessa revolução digital estão o aplicativo e o gerenciamento de desempenho de aplicativos (APM, Application Performance Management). 

Kong Yang: Head Geek™ da SolarWinds

Sobre o APM

O gerenciamento do desempenho de aplicativos é uma das principais responsabilidades dos profissionais de TI, seja qual for a especialidade ou o caminho de certificação. Pergunte a dez engenheiros e você provavelmente ouvirá dez definições diferentes de APM. APM é uma função dos serviços de infraestrutura subjacentes e conectados e do código do aplicativo. De acordo com a declaração de Joe Kim, CTO da SolarWinds, a meta final continua sendo manter a integridade e a execução contínua do aplicativo. Essa meta é uma constante, seja seu departamento de TI estritamente local, totalmente externo ou uma combinação dos dois: um ambiente de TI híbrida.

Os aplicativos na nuvem e móveis representam disponibilidade, agilidade e escalabilidade que atendem ao consumo do usuário final. A experiência do usuário precisa de linhas de base e dados de tendências para estabelecer o desempenho e o comportamento do aplicativo. Isso define a base para a Qualidade de serviço (QoS, Quality of Service) esperada e estabelece o vínculo do contrato de nível de serviço entre a empresa e o usuário. Os profissionais de TI são a garantia das promessas que as empresas fazem para os clientes em relação à experiência do usuário. A implantação do monitoramento real de usuário (RUM, Real User Monitoring) é crucial para otimizar e influenciar de maneira positiva a experiência do usuário, e é um dos princípios do APM.

Experiência do usuário

O RUM envolve gravar toda a interação do usuário com o site ou a interação do cliente com um servidor de aplicativos ou um aplicativo baseado na nuvem. O benefício do RUM é determinar rapidamente se os usuários estão sendo atendidos de maneira eficiente (latência mínima entre as interações) e efetiva (mínimo de erros durante as interações). Os provedores de serviços Web e de Software como serviço usam os dados do monitoramento real de usuários para gerenciar a QoS fornecida aos clientes em seus respectivos pontos de extremidade. Por exemplo, navegadores executados em laptops, tablets ou dispositivos móveis.

Como funciona o RUM?

O monitoramento real de usuários coleta o tráfego da Web injetando código em uma página da Web ou código nativo nos aplicativos para avaliar o feedback sobre desempenho e integridade do ponto de extremidade do navegador ou do cliente. Os dados do RUM são essenciais para solucionar erros ou lentidões de sites. Observe que isso é diferente do monitoramento sintético com navegadores da Web automatizados, que usam o tráfego da Web de entrada e de saída para registrar as medidas. 

Desbloqueie o potencial do RUM

O RUM exige disciplina e rigor, além de um conjunto de ferramentas adequado que permite ao usuário agregar os dados e revelar rapidamente o ponto único da verdade da empresa para o usuário final. Ao aproveitar habilidades (por exemplo, a estrutura DART-SOAR da SolarWinds®) como base para o monitoramento como disciplina, os profissionais de TI podem cumprir o SLA para proporcionar a experiência do usuário final de seus aplicativos para os pontos de extremidade. 

Os profissionais de TI também podem combinar o monitoramento real de usuários com os dados e insights do rastreamento de aplicativos, dos serviços operacionais, dos sistemas de banco de dados e das redes para ter uma visão holística do aplicativo, já que a pilha de aplicativos normalmente vai além do site de front-end e dos serviços Web. Dessa forma, os profissionais de TI podem eliminar rapidamente falsos positivos durante as emergências de solução de problemas.

Por fim, com uma linha de base e dados de tendências de RUM, os profissionais de TI podem estabelecer um protocolo para corrigir incidentes em toda a pilha de aplicativos, como tempos de resposta mais longos ou serviços Web com problemas.

 Conclusão

Para concluir, o monitoramento real de usuários é o componente essencial para fornecer uma excelente experiência do usuário por meio do gerenciamento de desempenho de aplicativos. Os profissionais de TI terão bons resultados ao desbloquear todo esse potencial e cumprir o SLA com os usuários finais.

Artigo originalmente publicado em: https://www.cloudstrategymag.com/blogs/14-the-cloud-strategy-blog/post/86757-unlocking-the-power-of-real-user-monitoring

Kong Yang é Head Geek™ da SolarWinds